Viaje comigo!

Quer saber das novidades?! Se cadastre e receba as dicas direto no seu e-mail! É uma alegria poder compartilhar minhas amabilices com você!

LAGO MAGGIORE | UM PASSEIO POR VERBÂNIA E LOCARNO

O Lago Maggiore é um convite à mudança de conceito sobre lagos. Esqueça os lagos comuns. Estamos falando de mais de 200 km² de extensão. É muita água para banhar paisagens típicas de quadro-de-casa-de-vó. Sabe? O lago, a montanha, as flores, as casinhas? Esse é o cenário.

locarno

Itália e Suíça se esbarram pelas águas. É entre os dois países que o Lago Maggiore se divide: 80% em território italiano, 20% em terras suíças. Além das cidades que ficam no entorno, é possível visitar as ilhas – destaque para as ilhas Borromeu (Itália) e ilhas de Brissago (Suíça).  MAS, como não consegui visita-las, abro espaço para os sortudos que já foram, falar sobre. Fica o convite!
Amábyle no Lago Maggiore
Como eu fui parar lá? Uma colega mora em Verbânia, na Itália, fez o convite para passar alguns dias da Eurotrip, ali, na fronteira com a Suíça. Acreditem: não há nada mais reconfortante durante uma viagem do que estar na casa de gente conhecida e querida.
verbaniaII
Ponto positivo: conforto sem fim – para o corpo, mente e coração. Ponto negativo: a gente nem se lembra de prestar atenção em detalhes de locomoção, valores e dicas em geral.

Veneza – Verbânia

Fui de Veneza para Verbânia de trem. Só que, já aviso: não há uma “linha direta”. As passagens foram divididas Veneza – Milão (38 euros) | Milão – Verbânia/ Pallanza (16 euros). Até Milão, só alegria. Depois, era um trem intermunicipal, ruizinho e barulhento. Por sorte, o trecho é agradável com paisagens lindas. A Itália lembra bastante o Brasil, com seus campos verdes.
Cheguei à noite. Pouca visibilidade do lago, muita pizza. Para amenizar o friozinho (na fronteira, o clima estava mais gelado que em Veneza), o clássico italiano. Foi quando confirmei: todas as pizzas individuais são gigantes.
Não vou lembrar o nome da pizzaria, mas lembro algo bem legal… Gisele contou que ela havia sido comprada recentemente por um casal de chineses. E que essa era uma das tendências por ali: chineses, muitos deles, investindo na Itália. (Aí entraram teorias conspiratórias que, jornalisticamente falando, não vou compartilhar! Rs Mas que tornam tudo sempre mais interessante durante as viagens).
Verbânia não é uma cidade turística. Mas é bem curiosa. Com aproximadamente 30 mil habitantes, é feita de ladeiras. A casa da Gisele fica nos Alpes. Um luxo. Por ali, tem um mirante – ao lado de uma igrejinha – que é um primor. Daqueles pontos que só quem mora no lugar conhece, sabe? Olha essa vista!

verbania

A parte mais legal: Verbânia fica a 45 quilômetros de Locarno – uma das primeiras cidades da Suíça, entrando pela Itália. Dá para ir, tranquilamente, de carro. É preciso atravessar a fronteira, por uma aduana com policiais simpáticos. (Não sei se a simpatia tinha a ver com a placa do carro, da Itália, ou se era comum. Não tivemos problemas, o que me basta! Rs).
Pesquisei e descobri que – caso você não esteja com moradores locais – as exigências são as mesmas para os países que fazem parte do Acordo de Schengen. São elas:
– Passaporte (válido durante o período da estadia no espaço Schengen). 
– Passagem de ida-e-volta dentro de 90 dias. 
– Comprovante de recursos financeiros (cartão de crédito internacional, cheques de viagem, dinheiro em moeda corrente no país). 
– Reserva de hotel ou carta-convite* (em um dos idiomas oficiais da Suíça) da pessoa residente na Suíça, quando se tratar de uma visita a convite.

locarnoII

Locarno – Suíça
A cidade é pequenina, mas cheia de charme. Palmeiras e flores contornam a calçada às margens do Lago Maggiore. Caminhando um pouco, se chega à Piazza Grande. Uma praça simpática, cheia de restaurantes, chocolaterias e lojinhas de souvenirs.

floreslindas

Pelas redondezas, é possível encontrar farmácias com produtos a preços bacaníssimos (comprei uma água termal da Avène por 5 francos), lojas de departamento (não sei se sou sortuda, mas comprei uma camisetinha fofa por 5 francos e um vestido por 7 francos) e supermercados – onde as batatas suíças (HÁ!) são vendidas pré-prontas!
Olha elas aí! By the way, os chocolates suíços são mais baratos no Brasil.
Olha elas aí! By the way, os chocolates suíços são mais baratos no Brasil.
Sobre a moeda… é possível pagar em euros – mas, saiba: o troco será dado em francos suíços. Foi por isso que fiz “compras”, para acabar com as minhas notas coloridas. Rs O mesmo vale para o Travel Money. Eles só fazem a conversão de francos para euros e passam o valor convertido. Não creio que seja uma diferença significativa.
As notas são uma graça!
As notas são uma graça!
Locarno fica na margem norte do Lago Maggiore. O que isso significa (além de ela ser considerada a Suíça italiana)? Que o clima por aqui é mais ameno que no restante do país.
Fiz um bate-e-volta, então não deu tempo para conhecer muito da cidade. No entanto, pesquisando aqui, descobri lugares sensacionais – e pertinho de Locarno – que me despertaram a vontade de voltar. Anota aí: Vale Verzasca e Vale Maggia. Dá pra ir de ônibus e, pelas fotos, vale a visita! Entrou para a wish list!
Vale Verzasca. Como não querer conhecer?
Vale Verzasca. Como não querer conhecer?

Se você tiver mais dicas sobre essa região, deixe seu comentário!  

Autor(a) do post
Amabyle Sandri

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram

Siga o Amabilices no Instagram e acompanhe em tempo real todas as nossas viagens e aventuras por esse mundo lindo.

Junte-se ao Instagram