O toque frio da brisa no abrir de portas do Ezeiza era o contraponto do caloroso e pouco usual sorriso do motorista do táxi. Lembro da sensação como hoje. Era 2011. Minha primeira viagem internacional. O colorido das barraquinhas de flores, nas ruas; o contorno adornado dos prédios; o contraste...